#124 – 04 de Maio

Vestia não mais que uma túnica rasgada e suja quando passou pelo enorme portal esculpido em pedras brancas, tão antigas quanto o próprio mundo. O grande salão a engolia no escuro enquanto ela se arrastava com o que restava de suas forças. Mal podia acreditar que a jornada agora chegava ao fim.

Ajoelhou diante do altar de pedra assentado há milênios com as mãos fechadas diante do peito em súplica e abriu os olhos para encarar a estátua da Deusa em busca de suas bênçãos.

Foi quando se deu conta que olhava para uma perfeita imagem de si mesma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s